13 dezembro 2011

Amor que espera

Esperando na janela


Já é madrugada,
Estou sozinha
Olhando na janela
Sentindo a brisa que chega
Tão suave e toca no meu rosto.
Sinto os teus carinhos,
Como uma mão atrevida
Ela invade o meu corpo
Passando deliciosamente
O seu frescor da noite.
Dos meus olhos
Sai à primeira lágrima
Desde que te conheci,
Sinto o silêncio que me invade
Não te vejo, não te ouço,
Sinto então a saudade chegando
Atravessando o meu caminho
Levando meu coração
Levando a minha alma
Assim te espero na janela
Mas você não vem
Então fecho os olhos
Viajo a tua procura
Percorro as estrela
E encontro a lua
Mas lá você não está.
É inútil esperar
Você não vem,
Já passou muito tempo
A solidão me faz companhia
Minhas lágrimas escondem a saudade
E então vejo o quanto te amo.